Cancro da Mama

Informações sobre o cancro da mama.

Caso clínico

Ao tomar banho de chuveiro, Augusta tacteou um caroço pequeno e firme na parte superior externa do seio direito. Há já alguns anos que tinha por hábito fazer o exame mensal de ambos os seios e estava familiarizada com a sua forma e palpação. No entanto, nunca tinha dado por aquele caroço, pelo que decidiu consultar o médico de imediato.

Dados Pessoais:

Nome: Augusta Reis

Idade: 51

Profissão: Doméstica

Família: A mãe de Augusta morreu de cancro da mama aos 61 anos.

Passado Clínico

Augusta tem sido tratada à dispepsia e à úlcera péptica, desde há alguns anos. Experimentou melhoras recentemente, após a administração de um novo medicamento para tratamento da úlcera.

A Consulta

O inédico examinou-lhe ambos os seios. Não verificou covas na pele mas conseguiu palpar o caroço. Notou com agrado que o mesmo se movia livremente, e que não aparentava haver aderência à parede torácica subjacente. Palpou cuidadosamente ambas as axilas e ficou mais descansado ao observar que não havia inchaço dos gânglios linfáticos.

O médico informou Augusta de que terá de fazer uma mamografia, marcando-a para o mesmo dia; o exame confirmou que há uma pequena massa, bem localizada, pelo que lhe aconselhou uma biopsia imediata, a qual foi executada na consulta externa do hospital.

Diagnóstico e tratamento

O diagnóstico feito a Augusta foi confirmado por uma biopsia de agulha, na qual se faz a recolha de uma pequena porção de tecido por intermédio de uma agulha inserida através da pele.

O tratamento do tumor de Augusta foi realizado por remoção do mesmo e de uma pequena porção do tecido envolvente.

O Diagnóstico

O cirurgião fez saber a Augusta que a biopsia confirmara um Cancro da Mama, e explicou-lhe que outros testes determinarão se houve ou não disseminação. Ela fez ainda algumas análises ao sangue, bem como outros estudos, e, entre estes, o exame por meios electrónicos do fígado e dos ossos, com resultados negativos.

O cirurgião fê-la saber que gostaria de a operar tão depressa quanto possível, e que, visto o caroço ser tão pequeno, aconselhava a que se procedesse apenas à sua remoção, bem como à dos gânglios da axila. A isto se seguiria radioterapia sobre o seio e axila.

O Tratamento

Augusta foi internada no hospital. O caroço foi removido através de uma pequena incisão, que lhe deixou uma ligeira depressão no seio. O relatório da análise patológica ao tumor operado indicou que o cirurgião o extirpara na totalidade. Três dias mais tarde, Augusta teve a sua primeira sessão de radioterapia, que repetiria cinco vezes por semana, durante um mês. A pele do seio ficou-lhe ligeiramente rosada, e, mais tarde, parecia bronzeada e um tanto mais espessa.

O Resultado

Augusta completou a radioterapia e ficou apta a regressar às suas activades de vida diária três a quatro semanas mais tarde. Continua bem, e, embora a princípio tenha ficado apreensiva quanto à possibilidade de uma recidiva, cinco anos mais tarde estava aparentemente livre de cancro, e levava uma vida activa. Augusta está convencida que deve a vida à precoce detecção e tratamento do cancro. Continua a fazer os seus auto-exames mensais.